Dr. Vic Reasoner

______________

R. A. Torrey argumentou a partir de Jo 13.10; 15.3 que os discípulos foram regenerados antes do Pentecostes. De acordo com Jo 15.3, os discípulos a quem Jesus se dirigiu já estavam santificados cerimonialmente por sua obediência à lei mosaica. Mas a ênfase do verso 3 é que eles foram santificados pela sua associação com Jesus (veja Jo 13.3-11). Eles foram separados do mundo ao seguirem a Cristo. Eles foram então limpos pela Palavra (Jo 15.3), mas ainda não pelo Espírito. E eles foram instruídos a permanecerem naquela condição pela sua obediência aos mandamentos de Cristo (Jo 15.10). Eles tinham renunciado ao mundo, se submetido às exigências do discipulado e pregado a Cristo.

Tudo isso tinha sido uma grande ajuda rumo ao futuro frutífero. Todavia, nem todos eles estavam limpos. Entretanto, entre os discípulos foram purificados de Judas. Em Jo 15.3 katharos é a forma adjetiva do verbo que foi usado no verso 2. Como um verbo, kathairo significa limpar ou purgar; podar ou deixar limpo. Sua forma substantiva também é usada em 13.10. Mas embora os discípulos fossem separados, podados e potencialmente limpos, como em 13.10 e 17.19, através da revelação de Deus em Cristo, eles ainda precisavam da lavagem da regeneração e da limpeza da inteira santificação.

B. F. Westcott escreveu que a obra espiritual representada por essa limpeza estava potencialmente completa, mas restava que ela deveria ser compreendida por eles [O Evangelho Segundo São João, p. 217]. Donald Bloesch argumentou que eles foram limpos em virtude de serem cobertos pelo sangue de Cristo, mas eles não estavam limpos de verdade. Ainda que Jesus lavasse os seus pés, aquele ato simbolizava a sua futura limpeza pelo sangue. “Eles ainda não tinham a regeneração porque eles ainda não tinham sido batizados na morte de Cristo (Mc 10.35-45)… Eles estavam limpos prolepticamente em virtude da palavra dirigida a eles. Eles estavam no caminho para a regeneração, mas ainda não estavam totalmente limpos” [O Espírito Santo: Obras e Dons, pp. 306-307].

Eles não gerariam os frutos do Espírito nem teriam vida espiritualmente reprodutiva até depois do Pentecostes. Wesley disse que os apóstolos foram limpos antes de Cristo morrer por meio da fé judaica, pois o Espírito Santo não tinha sido dado ainda [Obras de John Wesley, 8:287]. Assim, Wesley concluiu que “a fé pela qual somos salvos… não é meramente a fé que os próprios apóstolos tiveram enquanto Cristo ainda estava na terra.… E dessa forma ela difere daquela fé que os próprios apóstolos tiveram enquanto o nosso Senhor estava na terra: ela reconhece a necessidade e o mérito da sua morte e o poder da sua ressurreição” [“A Salvação pela Fé”, Sermão #1, 1.3, 5].

Tradução: Thiago D. M. Silvino

Fonte: Arminianismo.com

Anúncios