Scot McKnight

 

As Passagens de Advertências de Hebreus, que vem inquietando tanto crentes comuns quanto estudiosos profissionais há séculos, têm quatro elementos: a audiência, o pecado, a exortação e as consequências. Examinaremos hoje a exortação. Em minha própria jornada, este tópico era mais crítico do que eu percebia, e ele é mais importante do que muitos parecem pensar. Trata-se de perseverança.

 

Aqui estão alguns termos que o autor usa pelo qual ele espera que sua audiência faça ao invés de apostatar-se:

 

2.1: atentarmos mais diligentemente

3.6, 14; 10.23: conservarmos firmes

3.13: exortai-vos uns aos outros

4.1: temamos

4.11: procuremos diligentemente

4.14: retenhamos firmemente

6.1: prossigamos até a perfeição

10.35: não lanceis fora a vossa confiança

10.36: necessitais de perseverança

12.1: corramos com perseverança

12.7: é para disciplina que sofreis

12.12: levantai as mãos cansadas, e os joelhos vacilantes

12.15: tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus

12.25: vede que não rejeiteis

 

Se fôssemos escolher um termo para colocar tudo isso em um, ele seria “perseverança” ou “fidelidade”. Ela é tanto mental quanto pessoal: tanto sabemos que Deus é fiel quanto ativamente nos entregamos à graça e capacitação de Deus.

 

Tanto os calvinistas quanto os arminianos concordam com este ponto: cada um precisa perseverar. Algo bem estranho tem acontecido no evangelicalismo americano: ele vem ensinando, se num tom alto ou não, a ideia do “uma vez salvo, sempre salvo” como se a perseverança não fosse necessária. Em outras palavras, ele vem ensinando que se uma pessoa começa, mas depois decide deixar de viver para Cristo, essa pessoa está eternamente segura. Isso é tolice. A perseverança é um indicador do que se trata a fé: uma relação duradoura, marcada por um amor invariável. Ninguém iguala o casamento a uma afirmação de propósito no dia da cerimônia, e ninguém deve igualar a fé a uma decisão.

 

O que significa perseverar? Significa que continuamos a crer, que vivemos dessa forma. Não significa impecabilidade; não significa que sejamos constantemente inclinados à santificação; não nega o tropeço ou a espiritualidade desordenada. Não nega a dúvida e os problemas. Simplesmente significa que a pessoa continua a caminhar com Jesus e não se distancia dele.

 

As duas próximas mensagens serão grandes: qual é o pecado e quem é a audiência?

 

Fonte: http://www.patheos.com/community/jesuscreed/2005/08/01/post-calvinism-exhortation/

 

Tradução: Paulo Cesar Antunes

Anúncios